Pesquisa personalizada

4 de fevereiro de 2007

THE DARK SIDE OF MOURINHA

Às vezes, penso como seria agradável ver os condutores dos Mercedes, Audis e outras berlinas de super-luxo a escavacarem os seus carros por efeito das manobras irresponsáveis que realizam. Nada de grave, entenda-se — apenas sustos ou chapa gasta. Mas sou humano, e não resisto a ter tais (oh quão humanos) pensamentos sempre que os vejo, oportunistas e completamente espertalhões, a fazerem valer o estatuto de "carro de luxo" para terem comportamentos muito pouco cívicos. Como ontem, no Rato, quando um palerma a conduzir um Mercedes vindo das Amoreiras "força" a entrada no trânsito vindo da Álvares Cabral e de S. Bento para se enfiar na faixa de transportes públicos frente à Papelaria Fernandes. Pensava eu que o senhor iria parar para deixar algum amigo ou familiar; nada, acelera na faixa bus para forçar entrada no trânsito normal para cortar para a rua da Escola Politécnica. Não consegui evitar pensar como agradável seria que o sinal mudasse para vermelho e o Mercedes desse por si bloqueado na faixa bus pelo 9 ou pelo 6 ou por dois ou mais dos autocarros que não param em frente à Fernandes, para ensinar uma liçãozinha relativa à pressa. É horrível, sim, eu sei, não é nada cristão da minha parte. Mas quem nunca pensou o mesmo que atire a primeira pedra.

3 comentários:

menina-alice disse...

Eu quase não tenho partes cristãs (só as que me enfiam pela vida adentro) e já meti os seixos no saco.

Anónimo disse...

... já não me fazem confusão os Mercedes, BMW, Audi ou Taxis; parto de um princípio que eu imaginei e funciona lindamente: nunca mais me enervei com esses, nem sei como lhes chamar, talvez bugigangas!!!
Ah, o princípio é o seguinte: imagino o livro de código e recordo o que está lá escrito :) os Mercedes, BMW, Audi ou Taxis têm prioridade sobre quaisquer outros veículos.

margarida

Jose Marques disse...

Esse tipo de pensamentos ocorrem-me diariamente.